segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Foz do Iguaçu - dia 3

Esse foi o terceiro dia em Foz. Nesse dia fomos para o Parque Nacional do Iguazu, que é o lado argentino do parque. No parque argentino é possível chegar muito mais perto das quedas das cataratas, e o parque é muito maior. No lado brasileiro nós levamos meio período e andamos um total de 5 km. No lado argentino ficamos o dia todo e andamos 10 km, o dobro do tempo e da caminhada.
Essa a entrada do Parque Nacional do Iguazu:



Essa entrada é menos organizada do que no Brasil, mas nada que um pouquinho de paciência não resolva. O parque tem preços diferenciados para argentinos e mercosul. Na entrada do parque só é aceito pesos argentinos e o valor para brasileiros é 200 pesos. Dentro do parque é aceito o real e também o dólar, mas a conversão não nos favorece, eu aconselho a levar pesos para a entrada e para gastar lá dentro.
Entrando no Parque fizemos um pequena trilha para chegar no ponto de embarque no trem. Essa é a trilha, superagradável.


Depois do trem vamos andando por essas plataformas sobre o rio.


Até que começamos a ver de longe a Garganta do Diabo, que é a maior queda das Cataratas.


A plataforma avança para dentro da queda, é impressionante. 


Olha como conseguimos chegar perto!


Além do circuito da Garganta do Diabo, há outros circuitos. As paisagens são indescritíveis! Fizemos o circuito superior, no qual as plataformas passam por cima das cacheiras e o inferior, nos quais é possível chegar bem perto das quedas.
Esse é o circuito superior, a vista é magnífica!




Lá também é cheio de quatis, tem que tomar cuidado com o seu lanche senão eles levam mesmo!


Esse é o circuito inferior, no qual andamos mais próximo das quedas.



Em alguns pontos é possível chegar bem perto das quedas, essa é a hora que molha mesmo!


Impossível dizer qual circuito é o melhor, acho que tem que fazer os 3. A Garganta do Diabo é a maior e mais impressionante. O circuito superior é lindo, são as melhores vistas. E o circuito inferior o mais emocionante onde podemos sentir a força das águas.
Ou seja, não dá pra escolher, tem que fazer os 3!

Aqui termina nossa viagem para Foz do Iguaçu. Tenho algumas conclusões:
- 3 dias foram suficientes,
- todos os brasileiros tem que conhecer essa maravilha da natureza que está perto da gente,
- é uma viagem excelente para criança.

Então é isso!

A Fernanda foi pra Foz em junho e publicou 2 vídeos sobre a cidade: clique aqui para ver o vídeo das cataratas e aqui para ver o da usina.

Um beijo para todos e até mais!!



sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Foz do Iguaçu - dia 2

No segundo dia em Foz do Iguaçu o tempo estava péssimo. Choveu muito! e aproveitamos para fazer os passeios que não eram em parque. Começamos conhecendo a mesquita mulçumana.
 
 
 

Depois da mesquita, fomos ao templo budista. Foi um tour religioso, rs.
É bonito o lugar. Esse templo é o segundo maior do Brasil, o primeiro é o templo Zu Lai em São Paulo.







Saindo do templo fomos para o passeio na Usina de Itaipu. Fizemos o passeio completo, que conhece a usina por fora e por dentro. Esse passeio custou R$ 68. Pena que estava muito nublado e com neblina.
 





 

 
A parte boa desse tempo foi que as comportas da usina abriram, isso não acontecia a mais de um ano. É impressionante! Mas não pudemos descer do onibus, vimos de longe, mesmo assim é impressionante.

 
Eu indico fazer esse passeio completo, vale muito a pena. A usina é enorme, a história da construção é muito legal e os guias são excelentes.
 
Esse foi o segundo dia!
 
 
 

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Foz do Iguaçu - dia 1

No feriado de 9 de julho (feriado só em São Paulo) fomos para Foz do Iguaçu. Eu adorei a viagem! Acho que vale muito conhecer! Eu li muito da internet sobre ser lindo e realmente é lindo mesmo! As vezes viajamos tão longe e deixamos de ir num lugar perto que é muito interessante. A passagem de avião para lá não é tão caro, e tem muita oferta de hotel, ou seja, opções para todos os estilos de vigem.
Nós alugamos um carro na Movida, por R$ 120 a diária. Não me arrependo, e na maioria dos casos acho que vale alugar.
Chegamos no dia 8 perto da meia noite e fomos embora no dia 12 bem cedo. Então tivemos 3 dias completos. Choveu muito nestes dias, por isso tínhamos um pronto mas esperávamos no dia para decidir o que faríamos por conta da chuva.
 
No primeiro dia, apesar de nublado não choveu. Começamos nosso dia no Parque das Aves. O ingresso para brasileiros custou R$ 24. Achei muito legal isso nos parques da cidade: eles têm preço diferenciado para residentes na região ou no país e também para o Mercosul.
Logo na entrada do Parque tem um lago cheio de flamingos, lindo!
 

 

Para ir de um lugar ao outro entre os viveiros tem caminhos no meio da mata, além dos pássaros é possível ver plantas e árvores da mata atlântica. Olha esse jardim de bromélias, fiquei apaixonada.



 
O parque tem muitos tipos de aves mas sem dúvida o ponto alto é o viveiro das araras. É um viveiro enorme, ele não é tão largo mas é bem comprido. As araras passam voando de um lado pro outro, é maravilhoso. Você sente o vento no rosto a hora que elas passam.

 
Nesse viveiro elas ficam pertinho da gente!
 
 
O Parque das Aves é o maior viveiro do mundo especializado em araras. O mais legal é que além de ser um "zoológico" o parque é um centro de conservação da natureza e um santuário para recuperação da vida silvestre. Metade das aves do parque foram resgatadas de maus tratos ou do tráfico de animais, eles são tratados e recuperados, quando possível são soltos ou ganham um lar no próprio parque.
O Parque das Aves também trabalha com reflorestamento, educação ambiental e outros projetos, como do tucano e das aves da mata atlântica.
Esse lugar me surpreendeu muito e confesso que quase que não incluí no meu roteiro. Se você for para Foz, vá a esse parque. Eu amei!
 
Voltamos a pé para o Parque Nacional das Cataratas. A entrada para brasileiros custa R$ 31,30. e o estacionamento R$ 19.
Depois da bilheteria fomos para um fila para pegar o ônibus que nos levaria as trilhas. A fila estava bem grande mas foi super rápido, pois é muito bem organizado! Forma-se uma fila única, o ônibus encosta e as pessoas embarcam, ele vai embora e na mesma hora já encosta outro ônibus e assim por diante.
"O sistema de transporte coletivo alia tecnologia, conforto e respeito ao meio ambiente. Ele permite transportar maior quantidade de turistas, com diminuição do tráfego de veículos, redução de emissão de poluentes e de atropelamento de animais." Essa é a explicação do próprio parque e faz todo sentido!

 
No trajeto do ônibus há duas paradas para quem vai fazer passeios pagos (tipo aquele do barquinho) e a parada do hotel, que é  bem bonito por fora. Depois dessas é a parada para quem vai andar nas trilhas. As trilhas são todas asfaltadas, com corrimão enfim, bem estruturadas e elas terminam no restaurante.
Essa é a primeira visão das cataratas, é de tirar o folego!

 
Conforme andamos na trilhas vamos vendo as cataratas de vários ângulos diferentes.
 
 
Essa passarela é a que nos leva bem próximo. É impressionante! Nem consegui tirar foto lá porque estava molhando muito, não dava para tirar a máquina ou celular do bolso.

 
No final da trilha tem um elevador panorâmico, mas não fomos porque a fila estava muito grande.


 
Demoramos 2 horas para ver o parque todo e andamos no total 5 km. Não fizemos nenhum passeio adicional.
No final do parque perto do restaurante tem uma estátua do Santos Dumont, pois ele foi um dos grandes responsáveis pela criação do parque. Ele passou com o seu avião e achou que esse lugar deveria se público, pois na época era privado. acho que ele tinha toda razão!


Como terminamos cedo fomos conhecer o Marco das 3 Fronteiras, onde Argentina, Brasil e Paraguai se encontram e se dividem pelos  rios Paraná e Iguaçu Não tem muita coisa pra fazer mas a vista é bonita. É pra chegar tirar umas fotos, ver a paisagem e passar na lojinha de suvenir que tem lá.
Esse é o marco brasileiro.


Essa vista é para o lado do Paraguai.

 
E essa é a vista para o lado argentino. Essa estrutura é o Espaço das Américas, um lugar com anfiteatro para eventos.


 
Esse foi o primeiro dia.
A Fernanda foi para Foz num evento em junho e fez um vídeo no you tube sobre as cataratas, para assistir clique aqui.
Até mais!

domingo, 28 de junho de 2015

Farabbud - Restaurante árabe em São Paulo

  Pesquisando restaurantes legais para levar minha tia em São Paulo, encontrei pelo TripAdvisor um que me pareceu muito bom, que é o Farabbud. também localizado em Moema e pertinho da minha casa, esse restaurante foi bem melhor do que eu esperava. É um restaurante pequeno, com manobrista  e atendimento muito bom.


  O principal de tudo: chei a comida sensasional!!! Com preços muito razoáveis, o ambiente super agradável e tranquilo, o Farabbud está hoje no posto de meu preferido entre os restaurantes árabes. Pelo nível do restaurante achei que seria bem mais caro. A estava comida saborosíssima e com apresentação de encher os olhos.
  Nós escolhemos kibe frito, pães e uma entrada chamada Quadra de Ases, que é um mix de várias entradas da casa: linguicinha árabe, kibe cru, trigo fique e trio de pates (houmus, babaganuche e coalhada).



  As sobremesas pareciam ótimas, mas acabamos não comendo. O kibe frito estava sensacional!